O TRÂMITE PRIORITÁRIO DO PEDIDO DE PATENTE DAS STARTUPS

Por Aline Souza Peres
07/07/2021

Em uma sociedade em constante transformação, que exige soluções céleres e efetivas para os novos desafios que surgem a cada dia,  o modelo ágil de negócio das startups se destaca em razão da sua capacidade de apresentar respostas rápidas e inovadoras ao mercado.

Se por um lado o potencial inovador das startups é um diferencial competitivo, por outro lado a carência de gerenciamento estratégico desses ativos, em especial com relação a proteção via sistema de patentes daquelas inovações que resultem em novas ou aprimoradas tecnologias, inviabiliza a adoção de  medidas  estratégicas contra concorrentes.

Conforme disposto na Lei da Propriedade Industrial (9.279/96), a concessão da patente garante ao seu titular o direito de impedir terceiros, sem o seu consentimento, de explorar produto ou processo objeto da patente durante a vigência do prazo de proteção, potencializando o poder estratégico e competitivo da empresa, visto que lhe garante o poder de limitar a concorrência.

Ocorre que, pelo receio da demora no tramite do processo de análise do pedido de patentes, muitas startups optam por não utilizar esse sistema para proteger suas criações, renunciando a um diferencial competitivo de mercado.

Nesse sentido, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI, no intuito de auxiliar empresas de base tecnológica a se consolidarem no mercado e incentivá-las a fazer uso do sistema de patentes, instituiu através da Portaria INPI nº 247/2020[1], a modalidade de tramite prioritário para pedidos de patentes depositados por startups.

Desse modo, desde ano de 2020, startups podem solicitar que seus pedidos tenham trâmite prioritário, reduzindo drasticamente o tempo de processamento do pedido de patente, bastando que, ao requerer o serviço, tais depositantes de patentes apresentem uma cópia da certidão emitida pelo portal da Redesim, dentro de seu prazo de validade, indicando a denominação da empresa Inova Simples, bem como que preencham os pré-requisitos determinados pelo art. 3º da Portaria 247/2020.

Este tramite prioritário não é uma exclusividade para startups, sendo que a legislação abrange diversas  modalidades diferentes de requerimento do serviço, dentre as quais estão: pessoas físicas com idade igual ou superior a 60 anos, microempresas e/ou empresas de pequeno porte, processo cujo objeto é reproduzido por terceiros sem a autorização; processos que pleiteiem a proteção de tecnologia verde, entre outas previsões, competindo em cada um dos casos o cumprimento de exigências específicas[2].

Como referência, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial disponibiliza painel interativo com todos os dados estatísticos[3], subsídios que demostram que no primeiro semestre de 2020, o tempo médio entre o requerimento e a decisão do exame técnico de pedido prioritário de patentes estava em cerca de 231 (duzentos e trinta e um) dias, já analisando os dados disponibilizados com relação ao mesmo período do ano de 2021, verificamos que a média de tempo seria de 79 (setenta e nove) dias, demostrando a celeridade das decisões dos pedidos de patentes que utilizam o trâmite prioritário.

De tal forma, o potencial inovador das startups, aliado a um tramite célere para processamento dos pedidos de patentes, mediante modalidade de trâmite prioritário, garante ao titular o diferencial estratégico necessário em um ambiente altamente competitivo.

 

por Aline Souza Peres – Advogada, Coord. do Depto. Judicial da Leão Propriedade Intelectual

 

[1] Portaria INPI nº 247 de 22 de junho de 2020. Revista da Propriedade Industrial nº 2582, publicada em 30 de junho de 2020. Disponível em: http://revistas.inpi.gov.br/pdf/Comunicados2582.pdf – Acesso em 01.07.2021

[2] https://www.gov.br/inpi/pt-br/servicos/patentes/tramite-prioritario/modalidades-de-tramite-prioritario-de-patentes – Acesso em 01.07.2021

[3] https://www.gov.br/inpi/pt-br/servicos/patentes/tramite-prioritario/estatisticas-gerais – Acesso em 01.07.2021

15/09/2021

A Submissão da Disputa entre Apple e Gradiente sobre a marca “iPhone” à Mediação de Conflitos

A disputa pelo registro da marca “iPhone” entre as empresas Gradiente[1] e Apple se estende há quase dez anos e parece não ter prazo para findar em definitivo. Em 02/01/2008, o INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial, autarquia responsável pela análise e concessão de patentes e registros de desenhos industriais e marcas no Brasil, […]

Ler
21/06/2021

Da proteção de embalagens de produtos através do trade dress

Produtos e serviços são lançados o tempo todo e, em um universo cada vez mais competitivo, em que há um bombardeio de informações, ofertas e novas marcas surgindo, as empresas devem buscar formas de se diferenciar no mercado e criar um atrativo que motive o consumo. Uma alternativa é através das embalagens, que muitas vezes […]

Ler
07/06/2021

O Design de produto como instrumento competitivo

Quando falamos em competitividade, especialmente no novo normal, a palavra da vez é INOVAÇÃO. As empresas, pessoas e organizações cada vez mais são desafiadas a se reinventarem para gerar soluções e produtos que se diferenciem daqueles dos concorrentes. O Manual de Oslo[1] define que se pode realizar quatro tipos distintos de inovações em uma organização: […]

Ler
17/05/2021

Entenda os efeitos da limitação constitucional do prazo de patentes julgada pelo STF no dia 12.05.2021: 20 anos contados da data de depósito

Na semana passada foi finalizado o julgamento histórico do Supremo Tribunal Federal – STF que durou quatro semanas e concluiu pela inconstitucionalidade do parágrafo único do artigo 40 da Lei da Propriedade Industrial n. 9279/96. O parágrafo único reconhecido como inconstitucional pelo STF definia que caso houvesse atraso no julgamento pelo INPI referente aos pedidos […]

Ler
03/05/2021

A indispensável suficiência descritiva de uma patente

Uma patente é um acordo tácito entre o inventor e a sociedade. O primeiro divulga a sua invenção beneficiando toda a sociedade com novos ensinamentos que ampliam o conhecimento técnico e, em contrapartida, o inventor goza de uma exclusividade temporal que possibilita ganhos de mercado e o retorno do investimento e do esforço praticado durante […]

Ler
22/04/2021

Propriedade intelectual como aliada de uma criatividade estratégica

Hoje, no mercado empresarial, não existe opção senão ser competitivo. Considerando os múltiplos players que se estabelecem nos mais variados segmentos, é preciso, para sobreviver, ter o melhor produto ou o melhor preço. É inegável também que, a menos que estejamos falando de mercados altamente comoditizados, a melhor opção é sempre desenvolver produtos com maior […]

Ler
09/04/2021

Invenções envolvendo APPs, IA, IoT e sua previsão legal na área de patentes: Breve análise comparativa das novas Diretrizes de Exame do INPI frente às Diretrizes do EPO

As desafiadoras tecnologias envolvendo invenções implementadas através de programas de computador não impactam apenas o setor de tecnologias da informação e comunicação, mas também impactam e atravessam diferentes áreas tecnológicas desde setores como de mobilidade/mecatrônica até setores da saúde e biotecnologia (envolvendo ou não inteligência artificial que já é compreendida e citada nas Diretrizes de […]

Ler
24/09/2020

Brexit e as marcas comunitárias (EUIPO): impactos do fim do período de transição

O período de transição estipulado após a saída do Reino Unido da União Europeia encerrará em 31 de dezembro de 2020. Então, o que acontecerá com as marcas que foram registradas/depositadas perante o EUIPO (Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia) e, consequentemente, estendiam sua proteção para o Reino Unido? Para as marcas já registradas […]

Ler
18/09/2020

Novidades importantes em marcas

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI publicou duas importantes disposições acerca dos processos de registros de marcas: a possibilidade de co-titularidade e a prorrogação da possibilidade de divisão dos processos para julho de 2021. . CO-TITULARIDADE DE MARCAS: a partir de agora, será possível registrar marcas em nome de mais de um titular, […]

Ler
27/05/2020

OMPI lança o Wipo Proof

Informamos que a Organização Mundial da Propriedade Intelectual – OMPI, acabou de lançar um novo serviço de registro internacional dedicado à realização de prova válida (no Brasil e exterior) denominada WIPO PROOF. Trata-se de um documento oficial emitido por essa entidade, contendo data/autoria/conteúdo e que serve como prova válida para direito autoral, segredo de negócio, […]

Ler
12/02/2020

INPI apresenta celeridade nos registros de software

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) busca cada vez mais desenvolver iniciativas e soluções voltadas à desburocratização e ao tempo de concessão de direitos de propriedade intelectual no Brasil. Com relação às proteções dos programas de computador, desde a implantação da plataforma online para requerimentos desse tipo de registro, se constata uma redução significativa […]

Ler
18/12/2019

Projeto Piloto ‘Patent Prosecution Highway’ do INPI

Informamos aos nossos clientes que o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) lançou em 1º de dezembro de 2019, um novo projeto para aceleração de patentes provenientes do exterior. Este acordo bilateral unificado já assinado entre o Brasil e Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Dinamarca, Estados Unidos, Equador, Europa, Paraguai, Peru, Reino Unido e Uruguai […]

Ler
22/11/2019

Avanço no julgamento de marcas pelo INPI

Desde 2017, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI vem se reestruturando para reduzir o backlog do julgamento nas áreas de patentes, marcas e desenhos industriais. O combate ao backlog seguiu no ano de 2018 e, em 2019, os reflexos da reestruturação e dos investimentos se tornaram evidentes. No setor de marcas, um pedido […]

Ler